Soul Gradient Moonstone

SOUL GRADIENT MOONSTONE [5.06m _ T6]
73,5cm de largura | 191g/m2
100% algodão

Isto de começar a experimentar panos tem muito que se lhe diga (#wannatrythemall), mas certo é que depois de começarmos, não conseguimos parar! Entramos em viagens, fazemos trocas, pedimos panos emprestados, e até esgotamos o plafond do cartão de crédito para comprar um certo pano! Vemos panos em todo o lado, numa colcha, numa blusa ou numa camisa, ficamos viciadas.
Neste caso, uma amiga perguntou-me se queria testar um pano. Fiquei toda contente, era a primeira vez que era convidada para tal, e logo juntar-me a um grupo de pessoas de toda a Europa, daquelas que admiramos secretamente online durante meses… que oportunidade fantástica! Pena que o pano não correspondeu às expectativas…
O nome da marca acho que já não passa despercebido a ninguém por terras lusas, e apesar de os seus panos serem produzidos fora da Europa, e de por vezes a entrada de produtos fora da UE trazer chatices com a alfândega, desde 2014 a Soul tornou-se a maior marca de babywearing da Índia e chegou aos 4 cantos do mundo.

Soul_01 (1).jpg

review: Sem alma!

Este pano viajou numa caixa de sapatos de criança (sim, assim pequena!!). Acho que nem assim conseguem imaginar como um pano com 5 metros de comprido bem dobradinho cabia numa caixa pequena como aquela. O pano é fino. Mas não é só fino, é mesmo mesmo super fino! Podem dizer que até há panos com menor gramagem (tipo Didymos), mas este pano é o mais próximo de lençol que eu já vi. Lençol? perguntam vocês. Mas isso é um pano de babywearing, não é? Pois, eu vou tentar explicar…

Ora bem, este pano, chamado Moonstone (pedra lunar) faz parte de um conjunto de panos da série Gradient. O gradiente de cores em si está muito bem conseguido, de um cinza escuro para um cinza claro quase branco. Mas para uma amante de cor como eu, achei-o um pano triste. Só combinou mesmo foi com os dias de chuva, que nem fotos lá fora permitiu.
A Soul sugere estes panos para pessoas mais inexperientes, uma vez que o gradiente de cores ajuda a distinguir os rails. Além disso também perdoam as folgas nos ajustes e sendo finos e leves são fáceis de manusear.

 

Pois bem, vamos lá analisar melhor isto. Os panos desta série são de algodão em trama simples (plain weave), por isso são finos e muito leves. Sim, até aqui tudo bem, confirma-se! Também são macios logo de início, quase não precisam de quebra (não achei muito macio, era maleável e com pouco grip, daí a confusão com o macio…). O problema para mim vem do facto de este pano não ter elasticidade, e com 9kg de um bebé nem sempre colaborante às costas, torna-se muito desconfortável. Isto porque não tendo praticamente diagonal nenhuma, o peso acaba por cravar o pano nos ombros, especialmente em portes simples como o rucksack.
Daí eu dizer que parece um lençol. Assim fino e sem diagonal alguma, bem o podia estender na cama e dormir em cima dele. Perguntam vocês: e para babywearing, serve? Bem, tendo em conta que a Índia é um país com um clima quente e húmido, e as diferenças culturais entre os países da Ásia e os da Europa, será aceitável para eles usar um pano destes, fino, leve e fresco. Até o poderão usar como se usam as capulanas, com aqueles portes simples de torso. Agora para os padrões europeus, cada vez com normas mais apertadas em termos de certificação de materiais e segurança dos artigos de babywearing, não me parece que este pano seja apropriado.
Bem, voltando à minha experiência com ele, depois de termos começado com o pé esquerdo com o rucksack, passei unicamente a fazer double hammock. Aí sim, o pano portou-se melhor. Fácil de manusear e de fazer o segundo passe, consegui aguentar o pequeno a dormir a sesta durante uma hora sem problemas. Mas talvez não aguentasse muito mais tempo, afinal aqui o que ajudou foi o porte, não o pano em si.
Bem, a esta altura já estão a encolher os ombros e confusos. Se o pano não é bom, para quê fazer uma review sobre ele? Porque também é preciso falar sobre isso. Estes panos existem, estão disponíveis no mercado. Depois de lerem isto, cabe-vos a vocês decidir se preferem carregar o vosso filho com um qualquer pano de lençol, de forma desconfortável e talvez pouco segura, quando há tantas outras opções por aí?
Confesso que realmente este pano deixou a desejar, se tivesse um talvez só o usasse para colos rápidos entre o carro e a praia, porque se lava e seca num instante. E mesmo assim, acho que preferiria o belo do ring sling (#teamRS). Quanto à marca, quem sabe num futuro próximo não vos trago outra opinião sobre eles e outros panos deles. Afinal, a variedade de produtos é enorme, com outros materiais, outras composições, outras tramas. Fiquem por aí e não percam as cenas do próximo capítulo! 😉

Ana Rita Oliveira

 


SOUL GRADIENT MOONSTONE [5.06m _ size 6]
73,5cm wide| 191GSM
100% cotton

There’s a lot you can say about this thing of trying wraps (#wannatrythemall), but the truth is, once you start, you can’t stop! We start getting into tours, we borrow wraps, we do temp trades, and we even max out our credit card to buy a certain wrap! We see wraps everywhere, on a bed quilt, on a blouse or a shirt, we get addicted!
In this case, a friend asked if I wanted to test a wrap. I got all excited, it was the first time I was being invited, and to join such an amazing group of people from all over Europe, the ones that you had been secretly admiring online for months… what a fantastic opportunity! Too bad the wrap didn’t meet my expectations…
The name of the brand is hardly unknown here in Portugal, and even though their wraps are made overseas, and sometimes the entrance of foreign products into the EU brings some customs problems, Soul has become, since 2004, the largest babywearing brand in India and reached the 4 corners of the world.

Soul_01 (14).jpg

review: Soul…less!

This wrap travelled in a children’s shoe box (yes, that small!). I think that not even with this in mind you can imagine how a 5 meters long wrap nicely folded fitted a tiny little box like that. The wrap is thin. But it’s not only thin, it’s really really thin! You can say that there are other wraps with less GSM (like some Didymos), but this wrap is the closest to a bed sheet that I have ever seen. Bed sheet? you ask. But that’s a babywearing wrap, right? Well, let me try to explain…

This wrap, called Moonstone (a rock from the moon) is part of an ensemble of wraps of the series Gradient. The colour gradient is actually very nice, from a dark grey to a light almost white grey. But for a lover of bright colours like me, I felt it was a sad wrap. It only matched the rainy days that week, that didn’t even allow me to take photos outside.
Soul suggests these wraps to more inexperienced babywearers, since the gradient helps to distinguish the top and bottom rails. Besides, they say that it even forgives maladjustments and that being thin and light, it’s easy to handle and wrap with.

 

Well, let’s look into it. The wraps from this series are made with pure cotton in plain weave, so they are thin and light. Yes, so far so good, check! They are also soft from the beginning, they almost need no breaking in (I didn’t find it soft, it was malleable and not that grippy, hence the confusion with the soft…). The problem for me is the fact that this wrap has almost no elasticity whatsoever, and with a not always cooperative 9kg baby on my back, it can get really uncomfortable. Since it has practically no diagonal, the baby’s weight ends up digging into your shoulders, especially in simple carries like the rucksack.
That’s why I say it looks like a bed sheet. That thin and with no diagonal, I might as well make my bed and sleep on it. You may ask: and for babywearing, is it any good? Well, considering that India is a country with a hot and humid climate, and the cultural differences between Asian and European countries, it’s acceptable for them to wear such wraps, thin, light and fresh. They might even use it like the African capulanas, in those simple torso carries. Now for European standards, with more and more strict rules in terms of materials’ certification and babywearing products safety, I don’t think this is an appropriate wrap.
Well, going back to my experience with the wrap, after a wrong foot start with the rucksack, I pretty much did double hammock till the end. Then yes, the wrap finally behaved better. Easy to handle and do the second pass, I was able to carry the sleeping baby for one hour without problems. Maybe I couldn’t hold it much longer, after all, what really helped was the carry, not the wrap itself.
At this point, you’re probably tucking your shoulders, confused. If the wrap isn’t good, why write a review about it? Because we also have to talk about it. Theses wraps exist, they are available in the market. After you’ve read this, it’s up to you to decide if you rather carry your child in any kind of bed sheet wrap, uncomfortably and maybe unsafely, when there is so many other options out there?
I confess, this wrap really disappointed me, and if I had one, I probably would use it only for quick ups between the car and the beach, because you can wash and dry it in no time. And even so, I think I would rather take my good ol’ ring sling (#teamRS). As for the brand, who knows in a near future I don’t bring you another opinion about them and their wraps. After all, Soul has such a large variety of products, from other materials, other blends, other weavings. Stick around and don’t miss out the scenes from our next episode! 😉

Ana Rita Oliveira

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s