Miloves Rosette Blue Jeans e Marisso Azalea Serenity

review: Letra M de…

Era uma vez… uma mãe, uma mãe que após realizar o seu sonho, ter a casa cheia de amor, recheada de risos de crianças e do cheiro doce de bolo pelo ar, decidiu que era tempo de seguir a sua paixão. Ela não tem memória exacta de quando a ideia começou, mas em início de Março do ano passado, enviou os primeiros desenhos para a fábrica de fiação. Esta mãe, como muitas mães por aí, não desistiu, não baixou os braços, não descansou enquanto não atingiu o seu objectivo. Com muito trabalho árduo, dia após dia, noite após noite, trabalho de 14 horas por dia sem um dia de descanso durante muitos meses, em Outubro de 2017 lançou finalmente o primeiro pano da marca.
O nome Marisso é uma junção do seu nome, do marido e dos filhos, e a marca é o seu terceiro filho, nascido do amor de uma mãe e tecido num pano.
Desde que eu comecei a experimentar panos tinha curiosidade em experimentar um Marisso Slings, marca que depressa ganhou fama e em alguns círculos chega mesmo a ser considerada HE (high end – de luxo), tal é a qualidade e cuidado colocados em cada pano. No entanto, o que a maioria de vocês pode não saber, é que se os panos Marisso não são para todos os bolsos, podem encontrar a mesma qualidade e cuidado em panos um pouco mais em conta.
Voltando à nossa história, esta mãe incansável, em pleno processo de lançar uma marca, lembrou-se algures do fim da Primavera: “porque não fazer panos para orçamentos mais limitados?” Assim nasceu a Miloves (junção de Milosc + love, que soa my loves, ou em português mil loves – mil amores!).
Os panos Miloves são tecidos usando apenas algodão penteado, e como são produzidos em maior escala, o que permite reduzir o seu preço. Enquanto as edições da Marisso são, geralmente de 8 a 10 panos por lançamento, embora edições mais abrangentes possam chegar aos 20 ou ser tão restritas que apenas são feitos um ou 2 panos (OOAK ou TOAK –  one of a kind ou two of a kind).
Até ao momento, os panos Marisso são feitos usando o melhor algodão do mundo (#walklikeanegiptian lol), que é muito mais caro que o algodão penteado dos Miloves. Ambos os panos são tecidos em Inglaterra e acabados à mão na Escócia, mas são tecidos em fábricas diferentes e com técnicas diferentes.


MILOVES ROSETTE BLUE JEANS [3.80m _ T4]
63cm de largura |325g/m2
100% algodão penteado (duplamente torcido)

Tive a sorte de poder experimentar este Miloves da Rosa Gonçalves (#colinhodobebe), já quase no fim de uma viagem de 28 pessoas. Apesar de a marca indicar uma gramagem de 280g/m2 em loom, certo é que depois de usado (e bem usado!), a gramagem é muito superior! No que é que isto se traduz, perguntam vocês? Bem, o pano apesar de não parecer pesado na mão, parece um pouco grosso. Mas isto desaparece logo porque acima de tudo este pano é macio e fofo! Eu já disse que é macio?? Oh, Deus!, parece mesmo macio como a barriga de um gato, só apetece embrulhar-nos nele e não largar mais!…
Outra coisa que me chamou à atenção foram as cores, branco de um lado, azul vivo do outro, pontilhados com umas pintinhas (ou bolinhas ;)) a formar rosetas da cor oposta. Tão simples e tão bonito! E claro, toda a gente sabe que eu sou perdida por azuis… (#teambluealltheway!)

Uma vez que o pano era um tamanho 4, DH (double hammock) estava fora de questão, por isso testámos este pano sobretudo com rucks de acabamentos diferentes. O pano entrapa que é uma maravilha, ajusta-se bem mesmo parecendo um pouco grosso, e apesar de macio não escorrega. O facto de ser assim fofo dá-lhe alguma elasticidade, por isso sente-se bem o bounce nestes portes simples.
Numa tarde de mais calor (como podem ver pelas minhas bochechas bem coradas em algumas fotos) senti que era talvez demasiado quente. Foi o grande senão, não o acho um bom pano de Verão, penso nele como uma mantinha para me embrulhar em dias mais frescos. Os nós também são um pouco volumosos, talvez umas argolas fossem uma boa aposta. Ainda tive oportunidade de dar colinho num fwcc tub (front wrap cross carry tied under bum), fruto de uma birra de sono e incómodo dos dentes por nascer, e estive sempre confortável. Aliás, acho que este pano também me deu colo a mim, que nestas alturas de mais cansaço (e frio, que o S. Pedro este ano trocou as estações do ano!!), sabe tão bem um pouco de aconchego e calor!…


MARISSO AZALEA SERENITY [4.46m _ T5]
66cm de largura | 310g/m2
51% algodão egípcio ELS e 49% algodão super penteado português

Foi preciso o meu bebé já ter um ano para conseguir experimentar um Marisso. Não tive a sorte de conseguir receber viajantes, e como todas as críticas que ia ouvindo eram muito positivas, as minhas expectativas eram altas.
O primeiro que experimentei foi um pano com padrão Caver (o Blue Sky, do qual a nossa Jordana fez review), do qual gostei muito. Também azul claro, também 100% algodão, também macio e confortável. Entretanto, uma das fantásticas embaixadoras da marca em Portugal deu-me oportunidade de experimentar o pano dela, o Azalea Serenity.
Este pano já me tinha chamado a atenção porque acho o seu padrão muito parecido com o Rosette da Miloves, e daí também a minha curiosidade em saber mais sobre ambas as marcas e a sua mentora. É branco de um lado e azul claro do outro, e é também pontilhado com umas pintinhas a formar rosetas da cor oposta, embora mais pequenas e menos dispersas. Lindo!

Mais interessante que a cor em si, é a composição do pano. A face azul é composta pelo tal algodão ELS (egipcian long staples – algodão egípcio de fio longo), que por ser assim longo, é também mais macio e acima de tudo, brilhante. Apesar de as fotos não mostrarem bem esta característica, o azul parece que brilha, assim um brilho acetinado muito elegante. A face branca é então composta pelo algodão penteado português.
Português?? Ah pois é, aposto que não sabiam disto! Este pano é em parte “made in Portugal”, porque este algodão, apesar de não ser cultivado cá, é fiado e tratado no Norte, algures numa terriola acima do Porto.
Apesar de não precisar muito para despertar o seu verdadeiro potencial em termos de quebra, notei uma diferença abismal em relação aos valores de gramagem, 310g/m2 comparando com os 275g/m2 anunciados em loom. Surpreendentemente, não o senti grosso em altura alguma, embora o peso, o brilho e a suavidade tornem este pano quase num “manto real”!
Sendo este pano de tamanho 5, estava na expectativa de ver se conseguiria fazer um DH. De facto consegui, mesmo nas pontinhas, mas sem problemas pois o nó não fica volumoso e segura-se perfeitamente. Apenas senti que as alças acabaram por escorregar um pouco dos ombros usando o pano com o azul para fora, mas quando tentei o mesmo com o branco para fora, isso não aconteceu. Mesmo que fosse uma questão de ajuste (o que não me parece), penso que isto se deve aos diferentes tipos de algodão, sendo que a face branca, com o algodão penteado, tem um pouco mais de grip que a face azul, com o algodão ELS.
Naquelas alturas em que não me apeteceu de todo fazer DH, fiz rucksack (sim, confesso que às vezes me dá preguiça… lol). Numa tarde de brincadeiras a correr atrás do filhote mais velho, andámos assim bem confortáveis. Este é um pano muito bem pensado e estruturado, e até eu que já me ressinto a fazer rucksack com alguns panos, não me queixei de dor alguma. Tem uma boa diagonal e um bounce óptimo que não deixa magoar os ombros e permite um uso prolongado com movimentos mais intensos.
O teste de resistência foi no fim-de-semana do dia da criança, o meu pequenino dormiu mais 2h de sesta num ruck tibetan knotless, bem altinho, sem descair um único centímetro, sem reajustes, sem desconfortos. Acho que isto diz muito sobre este pano, não?!

Para resumir, as grandes diferenças entre os panos destas duas marcas, além do preço e características, é o sentimento que nos provoca. O Azalea Serenity é, como o próprio nome indica, um pano suave e sereno, que nos embrulha numa onda de calma e paz. Não é de todo um pano elistista, é um pano maravilhosamente simples e elegante, e é isso que o torna, aos meus olhos, quase régio! O Miloves Rosette é aquele pano acessível a todos, pronto a usar em qualquer ocasião, mas com aquele aconchego de mantinha, macio e fofo, aquele com quem nos sabe sempre bem enroscar… (no bom sentido!!) 😉
Porque este review já vai longo e não me quero que ninguém saia daqui a bocejar, tenho a agradecer à mentora destas duas marcas, Ana Marisso, que tão gentilmente respondeu às minhas perguntas, e de cujo incessante trabalho resultaram estes 2 panos fantásticos. Agradeço também à Rosa e à Mónica Conde, que me deixaram experimentar os seus panos, por toda a disponibilidade e amizade (#babywearingémuitomaisdoquepanos!).

Ana Rita Oliveira

 

Duo Miloves Rosette Blue Jeans & Marisso Azalea Serenity

Review: Letter M for…

Once upon a time… there was a mother, a mother that after fulfilling her dream, have a house full of love, filled with children’s laughter and the sweet smell of freshly baked cake in the air, decided it was time to pursue her passion. She can’t exactly tell when this idea began, but in the beginning of March last year, she sent her first sketches to the mill. This mom, like many mothers out there, didn’t give up, didn’t lower her arms, she didn’t rest until she reached her goal. With a lot of hard work, day after day, night after night, with 14 hour work days without a break for many months, in October she finally released her brand’s first wrap.
The name Marisso is a mix of her name, her husband’s and her kids’ names, and the brand is like her third child, born from the love of a mother and woven into a wrap.
Since I started trying wraps I was curious about this brand, which soon gained a reputation and in some circles is even considered a high end (luxury), because of the quality and the care that is put on every wrap. However, what most of you might not know, is that if Marisso wraps are not for all pockets, you can find the same quality and care in more affordable wraps.
Going back to our story, this relentless mom, in the middle of launching a babywearing brand, somewhere by the end of spring, thought: “why not try to make budget wraps too?” And so Miloves was born (adding Milosc + love, sounds my loves, but in Portuguese sounds mil loves – a thousand loves!)!
Miloves’ wraps are woven using only combed cotton, and since there are many more wraps in one release, that helps to achieve a cheaper price. In Marisso’s case, releases are very limited, usually about 8 to 10 wraps per release, although some of them are 20 wraps and some are just one or two wraps (OOAK or TOAK – one of a kind or two of a kind). Up until now, Marisso’s wraps are made using the world’s best cotton (#walklikeanegiptian lol), which is a lot more expensive that the combed cotton used in Miloves. Both are woven in England and finished in Scotland, but they are woven in different weaving mills with different technics.

MILOVES ROSETTE BLUE JEANS [3,8m _ size 4]
63cm width |325 GSM
100% double twisted combed cotton

I was lucky to be able to try this Miloves from Rosa Gonçalves (#colinhodobebe), almost at the end of a 28 people tour. Even though the brand indicates a weight of 280gsm in loom, this one is much higher after use (and very much used!)! And what does this mean, you ask? Well, even though the wrap doesn’t fell heavy in hand, it feels a bit thick. But this soon disappears because this wrap is, above everything else, soft and fluffy! Did I say it’s soft?? Oh God!, it feels cat belly soft, you just want to wrap yourself in it and never let go!…
One other thing that caught my attention were the colours, one side white, the other side bright blue, with flowers speckled (or dotted ;)) in the opposite colour. So simple and so beautiful! And of course, everybody knows I am a sucker for blues… (#teambluealltheway!)


Since the wrap was a size 4, DH (double hammock) was out of the question for me, so we tested it mostly with different finished’ rucks. It is really wonderful to wrap, it adjusts beautifully even though it feels a bit thick, and it doesn’t slide, despite being so soft. The fluffiness also gives it some elasticity, so you feel the bounce in these simple carries.
In a warmer afternoon (as you can see by my rosy cheeks in some photos) I felt it was a bit too hot. That was the downside, I don’t think it’s a good summer wrap, I think of it as a blanket that I can wrap myself in on cooler days. The knots are also quite bulky, so maybe some ring finishes might be a good bet.
I still had the chance to try fwcc tub (front wrap cross carry tied under bum) one night, my sleepless baby needed cuddles due to teething pain, and I felt quite comfortable. In fact, I think this wrap also cuddled me, because in these times when moms feel most tired (and it’s cold – St. Peter’s got this year’s seasons all mixed up!!), the coziness and warmth feel so good!…


MARISSO AZALEA SERENITY [4,46m _ size 5]
66cm width | 310 GSM
51% ELS Egyptian cotton / 49% Portuguese super combed cotton

My baby was already one year old when we got the chance to finally try a Marisso wrap. I wasn’t lucky to get any visitors, and since all the reviews I was hearing about the brand were so positive, my expectations were high.
The first one I tried was a Caver pattern wrap (Blue Sky, the one that our lovely Jordana reviewed), which I really liked. Also light blue, also 100% cotton, also soft and comfortable. However, one of the amazing Marisso ambassadors in Portugal gave me the chance to try her wrap, the Azalea Serenity.
This particular wrap had already caught my eye because I found its pattern to be quite similar to the one in Miloves Rosette, and so it spiked my curiosity to know more about both brands and their mentor. It is white on one side, and light blue (baby blue) in the other, and it’s also speckled with little dots, forming flowers’ shapes in the opposite colour, although smaller and less spread over the wrap. Beautiful!


More interesting that the colour itself, is the composition of the wrap. The blue face is made of the ELS (Egyptian long staples) cotton, whose long fibres make it smoother and above all, shiny. Despite the photos don’t capture this characteristic well enough, I can tell you that the blue looks quite shiny, like an elegant satin sheen. The white side is then made of the Portuguese combed cotton.
Portuguese?? Oh yes, I bet you didn’t know this! This wrap is part “made in Portugal”, because this cotton, even though it’s not grown here, it is spunned and treated up North, somewhere in a town above Porto.
Although it doesn’t need much to make it achieve its true potential in terms of breaking in, I noticed a big difference in terms of weight, 310gsm comparing to the 275gsm announced in loom. Surprisingly, I didn’t feel it was thick at any point, although the weight, the sheen and the smoothness turn this wrap in something like a “royal cloak”!
This was a size 5 wrap, I was a bit unsure if I could do a DH with it. I actually could, right on tippy tails, but without any problems because the knot wasn’t bulky and it held perfectly like that. I just felt the wrap slip a bit off my shoulders wearing the blue on the outside, but when I tried it with the white on the outside, that didn’t happen. Even if it was an adjustment issue (which I don’t think so), I believe it’s because of the different kinds of cotton, since the white combed cotton has a bit more grip than the blue ELS cotton.
In those times when I didn’t feel like doing DH, I just did rucksack (yes, sometimes I feel too lazy for DH… lol). On playdate afternoon, running and chasing with my 3yo boy, we were very comfortable on a ruck. This is a very thoughtful and well-structured wrap, and since even I resent doing rucksack sometimes with some wraps, I didn’t feel any back pain whatsoever. It has a good stretch and a great bounce, it doesn’t hurt on the shoulders and it allows you to wear it for a long time and through more intense movements.
The resistance test was on children’s day weekend, my baby slept over 2 hours on a Tibetan knotless ruck, nice and high, without sagging or dropping a single inch, without readjusting, without any discomfort. I think that says a lot about this wrap, doesn’t it?

To sum this up, the greatest differences between the wraps of these brands, besides the price (which reflects the quality of the cotton used) and their characteristics, is the feeling that they cause on us. Azalea Serenity is, like the name says, smooth and serene, that wraps us in a wave of calm and peace. It’s not an elitist wrap at all, it’s a wonderfully simple and elegant wrap, and that makes it, to my eyes, almost royal! Miloves Rosette is that affordable wrap, ready to wear in any occasion, but with that blanket-y vibe, soft and fluffy, the one you always feel good to snug into… (in a good way!!) 😉
Since this review is already quite long and I don’t want people to leave yawning, I want to thank the lady behind these 2 brands, Ana Marisso, that so gently answered my questions, and from whose hard work resulted these 2 fantastic wraps. I also want to thank Rosa and Mónica, who let me try their wraps, for all their kindness and friendship (#babywearingissomuchmorethanwraps!). ❤

Ana Rita Oliveira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s