3 Weaverbirds: Dreamy Night, Eclipse and Mburo

Review: Um para cada ocasião! 

Olá a todos! Depois de uns tempos desaparecida, trago-vos um review em dose tripla. De início estava a pensar falar-vos apenas de um pano, mas a marca e a dona são-me tão queridas, que resolvi fazer um comparativo. Aproveito assim o facto de esta ser também a minha despedida do blog para vos apresentar 3 panos da mesma marca, com a mesma composição, mas completamente diferentes entre si.
Já falamos da Weaverbirds aqui (review Shadow of the Sun), e do quão tocada fiquei por ser uma empresa social focada na sustentabilidade. Na verdade, desde que experimentei o Shadow of the Sun, quis trazer um pano deles para Portugal e pô-lo a viajar, para que pudessem conhecer o projecto, experimentar um pano e deslumbrar-se.

Weaverbirds Dreamy Night 6
100% algodão orgânico sustentável (certificado pela CMA – Cotton Made in Africa)[245g/m2 / 64cm largura]

Untitled collage

Na realidade, isso não aconteceu. O Dreamy Night é um pano simples, em trama herringbone, com uma gramagem média. Apesar das cores fortes e intensas (azul e violeta), julgo que a maioria estava à espera de algo mais… especial, sobretudo por ser um pano handwoven. Mas eu fui a sortuda que teve oportunidade de o ver “crescer”, e tenho por isso uma opinião um pouco diferente. Eu vi a transformação “loom to bloom”, entrancei-o, amaciei-o, carreguei o meu bebé nele antes de seguir viagem. E no fim, vi-o chegar macio, maleável, moldável, aquele abraço bom num DH.
Apesar da gramagem média, é um pano leve e suave, e em DH é um pano muito confortável. Usei-o durante 3 horas numa visita ao Parque de Dinossauros na Lourinhã e não me ressenti nem um pouco. De sujo que ficou da poeira, foi só meter na máquina a lavar. É o bom de ser um pano 100% algodão, totalmente easy-care! Para mim, tem as doses certas de grip e bounce, é super fácil de ajustar, o que o torna sem dúvida, um pano ppto (pau-para-toda-obra) excelente.
Dirão vocês que não se justifica tanto dinheiro por um pano ppto, quando haverá panos semelhantes bem mais baratos. Só vos digo que o valor de um pano é muito mais do que isso. Para mim, o valor está no material com que é feito, na forma como é tecido, e nas mãos de quem o tece. O valor está em todas as pessoas que contribuíram para que ele fosse produzido, está na sustentabilidade deste projeto. Acima de tudo, o valor de um pano é aquele que nos dita o coração, que vem das emoções que ele desperta em cada um de nós.

Untitled collage (1)

Weaverbirds Eclipse 5
100% algodão orgânico sustentável (certificado pela CMA – Cotton made in Africa)
[250g/m2 / 68cm largura]

Untitled collage (3).jpg

A primeira vez que vi fotos deste pano fiquei maravilhada. Sobretudo porque visualmente me faz lembrar um dos primeiros handwoven que experimentei (e que era verdadeiramente único), assim que surgiu uma viagem internacional do Eclipse, eu candidatei-me. Depressa percebi que não ia ser capaz de esperar tanto tempo para o experimentar.
De facto, não estava preparada para a primeira impressão ao vivo e a cores. O Eclipse é um pano fino, dos mais finos que já experimentei (apesar da gramagem média). É como o nome indica, inspirado num eclipse solar, quando a Lua passa entre o Sol e a Terra. Este fenómeno está representado pelo gradiente de cores, que vai do creme (algodão natural) ao cinza até ao preto, e o complexo padrão da trama “crackle” circular (circular crackle weave) é mais evidente pelo contraste da weft em tons de amarelo/dourado.
O pano tem um grip fabuloso, e tal como já disse, é fino e fresco para o Verão. Com algum uso torna-se incrivelmente macio e maleável, e surpreendentemente forte para carregar um toddler. As franjas são sem dúvida a minha paixão! São franjas torcidas longas e dão ao pano um ar mais rico e elegante. É fantástico vê-las a dançar com o nosso movimento!
Confesso que não lhe dou tanto uso como gostaria, talvez por sentir que é um pano especial e que se adequa apenas àqueles momentos em que nos sentimos (ou precisamos sentir) mais elegantes, mais femininas. Mas acho que a certa altura, sobretudo quando somos babywearers experientes (e completamente viciadas em panos), todas temos um pano que nos faz sentir assim, não é? Chiques e a valer “um milhão de dólares”!… 😉

Untitled collage (2)

Weaverbirds Mburo 4
100% algodão orgânico sustentável (certificado pela CMA – Cotton made in Africa)
[273g/m2 / 70cm largura]

Untitled collage (4).jpg

Por muito que eu goste de panos finos, este verão dei-me conta que precisava de um pano mais curto mas prático, e que desse suporte em portes simples como o rucksack. Acima de tudo, eu procurava um pano parecido com o Shadow of the Sun, com mais textura, com mais cush.
Quando vi que o Mburo ia ser reeditado, naqueles 5 tons teal, fiquei rendida. O nome é o de um magnífico Parque Natural na zona Sudoeste do Uganda. O padrão (longitudinal crossing squares) e a combinação de cores dão-lhe movimento. Apesar de ser um pouco mais grosso que o Eclipse, e de ao início precisar de um pouco de quebra, rapidamente se torna maleável e fácil de ajustar. É sem dúvida um pano forte para aguentar um toddler.
As cores (que nas fotos parecem teal, mas ao vivo parecem mais verdes) e a sensação de liberdade que tive ao usá-lo, de estar imersa na natureza, tornaram-no o meu pano de eleição durante o verão, e sobretudo na minha semana de férias em família, no sítio onde cresci, no meu regresso às origens e à infância.
Acima de tudo dei-me conta que para cada ocasião, para cada estado de espírito, há um pano. Se só tivesse estes 3, estaria feliz. Cada um me evoca sensações diferentes, mas todas boas e únicas. Cada vez que os usei senti-me bem, feliz, especial. Não só porque com eles carreguei o meu filho, mas porque me senti humilde, como parte de algo maior no Universo! Senti o amor que a Liv e todas as pessoas na Weaverbirds deixam em cada fibra de cada pano. Babywearing é muito mais do que panos, é amor, é amizade! Obrigada Liv!

Untitled collage (5).jpg

Claro, não podia acabar também este review sem agradecer aos nossos leitores e às minhas colegas de blog, a esta equipa que tanto cresceu desde que a Elisabete depositou em nós a confiança de seguirmos as suas pisadas. A ela deixo também um beijinho muito especial, obrigada pela oportunidade! Acima de tudo, obrigada à Rita e à Raquel, as minhas amigas de coração e do #contrabandodepanosdoAlgarve, por me aturarem os devaneios de vez em quando, e por estarem sempre aí. Não era a mesma coisa sem vocês! <3[

Ana Rita Oliveira 

 

Review: One for each occasion! 

Hello everyone! After a few times missing in action, I bring you a triple dose review. At first Iwas just thinking of talking about a single wrap, mas the brand and its owner are so dear to me, that I decided to do a little comparison. I also take the chance to say goodbye, since this is my last review for the blog, by presenting 3 wraps from the same brand, with the same blend, but completly different between them.

We have talked about Weaverbirds here (review Shadow of the Sun), and how moved I was with this social company focused on sustainability. In fact, ever since I tried Shadow of the Sun, I wanted to bring one of their wraps to Portugal and do a small tour, so that some people got to know the project, try the wrap and be amazed as I was.

Weaverbirds Dreamy Night 6
100% sustainable organic cotton (certified by CMA – Cotton Made in Africa)
[245gsm / 64cm width]

Untitled collage (6).jpg

In fact, that didn’t happen. Dreamy Night is a simple wrap, in a herringbone weave, medium weight. Despite the strong bright colours (blues and violet), I believe most of the testers were expecting something a bit more… special, mostly because this is a handwoven wrap. But I was the lucky one that had the chance to see him “grow”, and because of that I have a slightly different opinion. I witnessed his “loom to bloom” transformation, I softned him up, I carried my baby in it before it was out in tour. And in the end, I watched in arrive soft, floppy, bandagy, that amazing embrace in a DH.

Even though this is a medium weight wrap, it’s light and airy, and in a DH it’s incredibly confortable. I wore it for 3 while hours during a visit to the Dinossaurs Park in Lourinhã and I didn’t get sore or hurt. It got really dirty from all that dust, but I just put it in the washing machine. That’s one of the best things about a 100% cotton wrap, it’s completely easy-care! To me, it has the right amount of grip and bounce, it’s super easy to adjust, and that makes itwithout a doubt, an excellent “workhorse” wrap.

You might say that it costs too much, specially being a “workhorse” kinda wrap, and when there’s similar wraps out there much cheaper. To me, the value is on the material it is made of, on how it’s made, on the hands of the weavers. The value it’s in all the people that, one way or the other, got this wrap weaved, in the sustainability of this project. Above all, a wrap’s value is the one that comes from the heart, from the emotions it brings up in each of us.

Untitled collage (7)

Weaverbirds Eclipse 5
100% sustainable organic cotton (certified by CMA – Cotton made in Africa)
[250gsm / 68cm width]

Untitled collage (8).jpg

The first time I saw photos of this wrap I was in awe! Mostly because visually it reminded me of one of the first handwoven wraps I tried (it was a true OOAK), so when an international tour of the Eclipse opened, I applied. Soon I realized that I wasn’t going to be able to wait so long to try it on.

The wrap has an amazing grip, and like I said, it’s thin and fresh for the summer. With a little bit of wear, it becomes incredibly soft and floppy, and it’s surprisingly strong to carry a toddler. The fringes are without a doubt my passion! They are long tassels that make the wrap more rich and elegant. It’s amazing to see them dangling and dancing with our movement! #lovefringes!

I confess I don’t give it as much use as I would like, maybe it’s because I feel it’s such a special wrap that suits better in those moments when we feel (or need to feel) more elegant, more feminin. I guess that at some point, specially when we are experienced babywearers (and completely addicted on wraps), we all have that wrap that makes us feel like that, right? Classy, like a million bucks! 😉

Untitled collage (9).jpg

Weaverbirds Mburo 4
100% sustainable organic cotton (certified by CMA – Cotton made in Africa)
[273gsm / 70cm width]

Untitled collage (10).jpg

As much as I like thin wraps, early this summer I noticed I needed a shorter and more practiclewrap, that gave me plenty of support in simple carries like rucksack. Above all, I was looking for a wrap similar to Shadow of the Sun, with more texture and cushier.

When I saw that Mburo was going to be reedited, in those 5 teal tones, I was sold. It’s named after a magnificent Natural Park in the south west area of Uganda. The pattern of the longitudinal crossing squares weave and the colours combination give the wrap movement. Despite it’s quite thicker than Eclipse, and need a little breaking in to start with, it soon becomes maleable and easy to adjust. It’s without a doubt, a strong wrap to carry a toddler.

The colours (that look teal in photos but greener live), and the sense of freedom, of being surrounded by nature that I got while wearing it, have turned this one in my election wrap for the summer, that I wore in my family vacations’ week, back where I grew up, back to my childhood.

Above all else, I realized that for each occasion, for each state of mind, there is a wrap. If I only had these 3, I would be happy. Each brings me different feelings, but all good and unique. Every time I wore them, I felt good, happy, special. Not only because I carried my baby boy with them, but because I felt humble, like part of something bigger in the Universe. I felt the love that Liv and everybody at Weaverbirds put in every fiber of every wrap. Babywearing is much more than wraps, it’s love, it’s friendship! Thank you so much Liv!

Untitled collage (11).jpg

Of course I couldn’t finish this review without thanking our readers and my blog’s teammates, this team has grown so much since Elisabete took faith on us to follow her footsteps. To her I leave a very special kiss, thank you for the chance! To top it off, a big thank you to my friends Rita and Raquel, my bffs from #contrabandodepanosdoAlgarve, for listening and for always being there. It wouldn’t be the same without you! ❤

Ana Rita Oliveira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s