Babywearing não é só amor…

Bem, desafiaram-me para fazer um texto sobre o Babywearing e sobre os negócios e uma pessoa fica assim um bocado sem saber o que fazer, o que dizer…
Dizem por aí que Babywearing é amor, Babywearing são panos…
Mas é só isto?
Não!
Babywearing não são só panos, babywearing não é só amor…

Babywearing são panos, slings, e mei tai ou mochilas e onbus ou pouch Slings. São porta bebés evolutivos e de painel fixo, são materiais de várias qualidades, são gramagens, toques, texturas e padrões de tirar o fôlego, são marcas, e panos até perder de vista!
Babywearing é uma forma de estar na vida; diferente do que se era até ao marco da vida de ser mãe e pai e formar uma família.
É dar colo e amor, e ter as mãos livres. É sermos DEUSAS com um trapo bonito! E podermos ter as coisas em casa orientadas, ou irmos às compras mais descansadas e ainda conseguirmos ter mãos para os mais velhos que passam a vida a querer correr.
Babywearing é uma opção, uma escolha de valorização das raízes, de retomar o normal da humanidade, de retomar os laços que unem filhos e pais. O aconchego é tão natural como a humanidade, tão antigo quanto os milénios. Tão necessário quanto comer ou respirar.
Babywearing são novas pessoas, um novo mundo, são encontros, novas amizades. Com um princípio comum: os trapos!
Babywearing é uma perdição!!!! 
Porque o que custa é começar!
Depois?
Ai depois… lá se foi o abono para mais um pano, um mei-tai ou uma mochila, mais aquele algodão ou o pano de aniversário ou outro para ter no carro e um para o verão, e outro para o bebé mais pesado. E depois mais um para as férias e para a praia.
Babywearing é partilha, são empréstimos e panos viajantes, testers, são experiências e toda uma nova realidade. E mais uma pessoa, mais um grupo, mais um encontro e um teste, mais um café e um bebé, mais uma família e mais uma amizade para a vida.
Babywearing é ser ET; ser olhado de lado, tão criticado como amado, tão mal falado como acarinhado.
É sermos loucas por andarmos com as crias às costas, mas não tanto pelo prático que é não termos de andar no monta e desmonta carrinho, no molha a mãe e o bebé, no corre-corre e no foge da chuva e do sol, porque afinal, protegemo-nos a nós e a eles de uma assentada.
Babywearing é magia, amor e colo, é muito carinho. É estar à distância de um beijinho e repousar no peito da mamã. É pele-a-pele e potenciar a amamentação, o vínculo com o bebé.

Mas babywearing não é só amor…

É muito mais do que isso…
É um negócio.
São pessoas que estudam e que trabalham para ajudar os outros.
É investimento de dinheiro, tempo e conhecimento.
É partilha com as famílias, aconselhamento para uma escolha mais acertada.
Também é estudo de fisionomia e de desenvolvimento do bebé, e das necessidades deles ao longo do crescimento.
É conhecer as necessidades de uma mulher no pós-parto e as suas limitações ou melhores opções.
É o tempo de uma consulta ou de uma conversa, ou duas, ou dez, é dedicação e ajuda.
É uma vitória ver mais um bebé carregado, mais uma mãe mais livre mais autónoma e mais confiante, mais capaz de ser uma super-mulher.
É disponibilidade e atendimento, esclarecimentos e experiências, demore uma ou três horas.
É mostrar o que há e como se usa, dar dicas e informações. Porque na internet não está lá tudo. E muitas vezes são ligeiros detalhes que fazem uma diferença abismal.
Também é investimento em formação e materiais, testes e análises, conhecer os porta bebés, como funcionam, quais os melhores e quais os melhor tolerados, como usar um menos adequado.
É ajudar uma família com o que tem ou com o que pode comprar.
É responder às necessidades de uma família; mãe, bebé, pai, avó, ama ou seja quem for…

Babywearing também são lojas, consultoras, emprego e formação.
É uma profissão e um emprego, também é negócio e dinheiro…
São famílias e mães que em vez de trabalharem para um patrão, trabalham para as famílias, dedicam o seu tempo e amor a ajudar os outros.
Mas que precisam de sustentar as suas próprias famílias, e não é com amor que se faz isso. É com dinheiro.

E por isso uma consulta tem preço, e o aluguer também. São investimento; e é tempo que vale dinheiro. Se não fosse para ganhar dinheiro, e se este não fosse essencial, simplesmente não se trabalhava e estávamos com a nossa família. Afinal é por e para eles que se trabalha.

Babywearing é tudo o que a maternidade nos trás de novo, é toda uma nova forma de viver é uma revolução na vida das pessoas.

Babywearing são panos, e é amor, mas é tão, tão mais do que isso….

Lili Lima

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s